sábado, 29 de setembro de 2012

Poemas do Viandante (369)

Paul de Vos - Un león y tres lobos

369. VIVEMOS SOB O CHUMBO DA TARDE TORMENTOSA

Vivemos sob o chumbo da tarde tormentosa.
Os dias, cada vez mais curtos, estão perigosos.
Em cada esquina espreita o lobo
e a garra dos homens virtuosos cai sobre os campos,
inunda as ruas da cidade e o comércio rasteiro,
a porta aberta para o fogo de Pentecostes.

Infelizes os tempos em que o vício clama virtude.
São horas de incêndio e não há dor nem sangue
que sacie os que pedem cabeças
e ululantes rasgam as vestes e espezinham os jardins,
gritam pela verdade cobertos no embuste.
Na lama, os filhos da víbora preparam o leito.

Estou sentado num quarto de hotel e vejo o mar.
Sobre as revoltosas ondas, um frágil veleiro volteia,
segura-se aos céus, inclina-se e tímido retoma a rota.
O mar ferido agita-se no despudor dos meus olhos,
e na feroz rebentação oiço o cansaço da terra,
o uivo da matilha que ao longe espera a presa.