sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Poemas do Viandante (349)

Claude Monet - Pioppi (1891)

349. O CLIMA É AGORA UMA PAISAGEM SECA E GRETADA

O clima é agora uma paisagem seca e gretada,
a ausência de águas e neblinas matinais,
uma maldição antiga em forma de meteorologia.
Quero descrever a paisagem,
mas  as pálpebras caem sem forças,
entregues ao jugo impiedoso do calor.

Que segredos se escondem nos dias de setembro,
na inclemência que faz as ruas transpirar?
Procuro a sombra branca da casa,
a obscuridade a que vida me remete,
esse lugar prescrito no querer que sobre o meu
se ergue e a que chamo a vontade de Deus.

Obscuro e sem lugar, o calor esquece-me,
para se espraiar sobre outros horizontes,
universos elevados, constelações de ouro e pérolas
na estridência azul dos céus.
Confundido com as sombras, percorro as horas
e mergulho uma e outra vez nas eternas águas do rio.