sábado, 29 de abril de 2017

Haikai do Viandante (322)

Don Hong-Oai, Winter Fog, Vietnam, 1974.

neblinas de inverno
semeiam sombras nas águas
a infância passa

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Silhuetas

Ruth Orkin - Central Park South silhouette. New York  (1955)

Estamos convencidos de que vemos, se os olhos funcionam e há luz suficiente, as coisas como elas são. E se aquilo que vemos não passar de silhuetas, perfis desenhados a carvão sobre a sombra? Como interpretar essas silhuetas? Será que precisamos de tornar a visão ainda mais aguda através de lentes cada vez mais potentes? Esse estratagema, porém, apenas nos devolve novas e novas silhuetas, como se estas insistissem em dizer que são símbolos não para a visão mas para a meditação sobre o mistério que habita cada coisa que se torna presente aos homens.

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Poemas do Viandante (626)

José Julio - Galaxia (1961)

626. uma galáxia move-se

uma galáxia move-se
na primavera dos espaços
errante
arrasta restos
de cometas
na órbita de estrelas
e em combustão
declina
se um quasar delira
no tumulto do outono

(09/12/2016)

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Meditação breve (27) - Levitação

Manuel Quejido - 24 Levitaciones (1972-73)

A levitação é um sonho de negação da realidade. Anular a gravidade e elevar-se acima da sua condição é o desejo de quem quer fugir àquilo que é.

terça-feira, 25 de abril de 2017

Haikai urbano (10)

Christine de Grancy - View from the roof of the Parliament onto the eight four-horse carriages led by Nike, the goddess of Victory

a deusa alada
corre em busca da vitória
a cidade dorme

segunda-feira, 24 de abril de 2017

O espelho da incerteza

Duane Michals - da série Heisenberg’s Magic Mirror of Uncertainty (1988)

Durante anos olhava-me ao espelho para me certificar, diria cartesianamente, da minha existência, da minha identidade e, confesso, da minha beleza. Sentia-me reconfortada na evidência de mim mesma. Até que uma manhã a imagem que vi deixou-me perplexa mais do que assustada. Não, não era bonito aquilo que via. Esperei até à manhã seguinte. Nova perplexidade, pois uma outra imagem de mim, me era oferecida. Melhor uma outra deformação. A imagem que tinha de mim, assente numa lenta transformação introduzida pelo tempo, desapareceu. Nunca sei o que sou e como me pareço, e tenho de arrastar essa incerteza dia após dia. Não, não tenho coragem de quebrar o espelho.

domingo, 23 de abril de 2017

Meditação breve (27) - Passado

Kurt Hielscher - Windmills in Dobrogea or Basarabia, Romania/Bulgaria (circa 1930s)

A simplicidade e beleza do passado reside tanto no facto dele ser passado como, na sua generalidade, em nos ter dispensado de o viver e suportar o seu peso e a corveia que nos imporia.

sábado, 22 de abril de 2017

Poemas do Viandante (625)

Adolph Gottlieb - Figuraciones de estruendo (1951)

625. ondas de cera tecem

ondas de cera tecem
cisnes no estrondo
do silêncio
e desenham
asas de seda
e topázios vivos
no vidro despovoado
de sombra e assombro

(09/12/2016)

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Meditação breve (26) - Refugiados

Dorothea Lange - Children of [Dust Bowl] refugee families (1938)

Refugiado não é uma situação transitória, mas a condição do próprio homem. Transitória é a percepção que os homens têm de que são, efectivamente, refugiados e nada mais que refugiados.

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Haikai do Viandante (321)

Gao Qipei  - Schildering (1700 - 1750)

arbustos no lago
sombras verdes na água azul
um pato emudece