sábado, 15 de setembro de 2012

Poemas do Viandante (355)

Paul Klee - Destrucción y esperanza (1915)

355. O MUNDO FOI TOMADO PELOS CURADORES DO MAL

O mundo foi tomado pelos curadores do mal,
incendiários sem rosto nem alma,
vómito vindo do abismo inominável,
pelo qual o declínio do que amámos chega,
traça uma rota no saibro escuro,
um casebre onde a encurralada vida grita,
no desespero esperançoso de que a rosa volte
e abra as suas pétalas puras para o céu.

Quebraram o suave jugo que ao tempo continha
naquele lento fluir das estações inexoráveis,
cavalo tresmalhado perdido nos matagais,
que o vurmo deslizante da negra mão ateia.
Os terríveis emissários falsearam a moeda,
o fundo oculto em que a vida se firmava,
para que as gerações se sucedessem e as estirpes
fugissem do terror antigo, agora retornado.

E aberta a caixa sem nome tudo treme e vacila,
as sólidas constelações dos céus, a rocha
firme que o velho e amado mundo suporta.
Sonho ainda com o teu puro coração
e, na ácida corrosão que os dias desenham,
deixo escapar dos lábios inermes a palavra
ó figlia del tuo figlio, e canto sobre a noite
a casa e o jardim que a infância me fez amar.