sábado, 7 de julho de 2012

Poemas do Viandante (292)

João Queiroz - Sem título (?)

292. INCLINO O OLHAR PARA A MONTANHA

inclino o olhar para a montanha
e aspiro o ar frio da tarde
faço das pedras gruta
e arvoro a casa
onde te aguardo ao anoitecer

não pertenço a este tempo
e os lugares que me foram dados
esqueço-os mal chega o outono

sento-me e enumero as espécies
amieiros bétulas e sobreiros
o carvalho e o choupo
cerejeiras e freixos
adormeço entre folhas e ramos
e um sonho vagaroso arde
no desvão da memória

aproximo-me da infância
desço ao poço fundo
e encontro na água fria
a luz trémula do teu olhar

estou nu e escondo-me no jardim
a tua presença frondosa
espero-a na sombra
desejo-a na hora
em que cansada se vá