terça-feira, 26 de março de 2013

Sonetos do Viandante (20)

Vincent Van Gogh - Senda del bosque (1887)

20. São frívolos os tempos que a vida

São frívolos os tempos que a vida
Trouxe para vivermos, são invernos
De que não haverá fim, primaveras
Abortadas no seio da madrugada.

Desçamos ao sagrado esquecimento,
Ocultemos de nós os dias felizes.
Que o bom anjo da noite por ti vele
E traga o veludo das estrelas,

A promessa do sono que teremos,
O silêncio que ao mundo me subtrai.
Tempo transfigurado, terra avara,

Nele perdi a infância, essa casa
Onde a luz, pura e frágil, não se apaga,
Bosque de sombra e puro amanhecer.