sábado, 22 de junho de 2013

Poemas do Viandante (422)

Maxfield Parrish - Blue Fountain (1926)

422. A natureza sonha água e fontes

A natureza sonha água e fontes,
jardins de seda
nas margens bravias da floresta.

Um rumor lembra os primeiros dias
e em cada passo
abre-se a porta do tempo.

Rasgo o véu e as trevas dissipam-se
entre o fulgor dos teus olhos
e as mãos cobertas de terra.

Quando anoitece, as árvores sussurram
e trazem para a cidade
a cor que a vida arruinou.

Em cada fonte sonhada,
em cada Estio que chega,
um rio solitário enlouquece.

Olho a fonte no centro do jardim
e oiço as águas do rio
perdidas entre o céu e o mar.