sábado, 23 de fevereiro de 2019

A desconhecida

Saul Leiter, Carol Brown in “Harper’s Bazaar”, c.1958

Era a mulher mais bonita da vila. Os homens andavam de cabeça perdida, tentavam cortejá-la, mas eram goradas todas as aproximações. Chocavam com uma altivez que, chegaram a confidenciar-me, roçava a provocação. Quanto maior o seu desdém maior o desejo que provocava. Quando chegou o forasteiro, eram assim que com rancor aqui ficou conhecido, ela cedeu à sua corte. O ambiente ficou explosivo. O noivado, porém, foi curto e em breve se realizou o casamento. Na hora em que o padre perguntou ao noivo se a aceitava por mulher, ele, perante metade da vila, respondeu que não. Ao ouvir aquela palavra, ela caiu. Quando a ergueram, moribunda, a face estava sulcada de rugas. Ninguém a reconheceu.

Sem comentários:

Publicar um comentário