sábado, 1 de agosto de 2020

Homicídio

Pablo Picasso - La muerte de Casagemas, 1901
Matou-o. Não há aqui um dr. Jekyll que se transforma em mr. Hyde. O caso é mais complexo do que a simples metamorfose. Tratou-se de um acidente ainda no outro mundo, um erro na distribuição. Duas almas, em versão masculina, foram enviadas para o mesmo corpo. Desde o nascimento que conflituam. A situação azedou quando um deles decidiu, agora que iria descobrir os prazeres do sexo, que o corpo seria apenas dele. Não se via a repartir os segredos de Vénus com aquele estranho com quem partilhava o corpo, mas não a alma. Este vendo-se ameaçado, não hesitou. Apontou a pistola à cabeça e matou-o. Não foi um crime passional, mas um acto de legítima defesa.

Sem comentários:

Publicar um comentário