quarta-feira, 6 de julho de 2016

Dialéctica do livro

John Yardley - Choosing a book

Num primeiro momento, estamos convencidos que escolhemos os livros que nos cabem ler para nos apropriarmos daquilo que eles contêm. Com a passagem do tempo, a ilusão desfaz-se e antropomorfizamos esses mesmos livros: são eles que nos escolhem. O segundo momento da dialéctica é o do magnetismo, do poder magnético que uma obra exerce sobre o seu potencial leitor. A sabedoria começa a nascer quando se descobre a unilateralidade de ambos os momentos. Nem nós escolhemos os livros, nem estes nos escolhem a nós. O terceiro momento é o da compreensão que o livro nos é enviado como um mediador. Aquele que envia e aquele que recebe são postos em relação pelo livro. Para aquele que recebe, o livro é sempre a voz da alteridade. Uma vezes surge como promessa; outras, como injunção.