quinta-feira, 4 de abril de 2013

Sonetos do Viandante (22)

Dante Gabriel Rossetti - El encuentro de Dante y Beatriz en el Paraíso (1852)

22. Este impulso medido pela sombra

Este impulso medido pela sombra,
Esta flor no sossego do jardim,
Esta chuva que cai pela penumbra,
Este tédio sem mácula ou mágoa.

Silenciosos os sinos da cidade
Repicam sobre a tarde que se esvai.
Anunciam as palavras com que a noite
Se inscreve no portal do paraíso.

Eis a sombra impulsiva que se rasga
E abre neste jardim de luz solar.
Eis a penumbra suja, tão radiosa,

Traçando  imaculada a nova mágoa.
Eis o portal da noite que ressoa
Como um anjo no velho paraíso.