terça-feira, 13 de novembro de 2012

Sonetos do Viandante (7)

Ernst Ludwig Kirchner - Desnudo femenino de rodillas ante un biombo rojo (1912)

7. Seio descuidado aberto sobre o mundo

Seio descuidado aberto sobre o mundo,
luz matinal que me incendeia o desejo.
Pobre esperança de tocar o fundo
desse teu corpo que espero e vejo.

Seda e cetim, puro algodão em flor,
prazer secreto sob a minha mão.
Despida e nua – oiço sombrio rumor –
dás o teu corpo. Nunca digo não.

Chegada a hora, as mãos e os dedos
abrem-se, flores, ervas, rios, segredos
que desaguam agora nesta rua,

onde te espero pura, branca e nua.
Vem na fria noite iluminar os astros,
somos lua e sol, não deixaremos rastros.