segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Poemas do Viandante

161. PALAVRAS

restam-me ainda estas palavras
sem redenção

o jardim cansado
entregou-se à volúpia
do meio-dia
e as sombras que
sobre mim caem
são sílabas tão pobres
que palavra alguma ousará
com elas compor o metro
onde te ouvirei cantar

resta-me ainda a redenção
desta pobreza