quinta-feira, 14 de março de 2019

O sal do silêncio (8)

Ellsworth Kelly, Light Reflection on Water, 1950

Uma casa construída no frágil reflexo das águas abrigava todas as esperanças. De uma das janelas, via-se o passar do tempo no barco triste dos dias. Na outra, ouvia-se o canto das aves que descia e pousava no coração de quem ali se sentava. Depois, havia quem mergulhasse e deixasse o corpo flutuar na luz do entardecer. Então o vento erguia-se e espirais de poeira agitavam-se no ar para caírem inclementes na trémula memória da casa.

Sem comentários:

Publicar um comentário