segunda-feira, 26 de março de 2018

Meditação breve (74) Sombras no lago

Alfred Stieglitz, Shadows in Lake, 1916

Os homens estão sempre dispostos a falar de si e da sua excessiva importância no mundo. Esquecem que nem pó sequer são, mas sombras reflectidas num lago. Não é que não existam belas sombras. Existem, aliás sombras belíssimas, mas não deixam de ser sombras que logo se desvanecem e são esquecidas. E aqui estará a maior felicidade de uma sombra: ser esquecida.