segunda-feira, 10 de abril de 2017

Uma carta

Johannes Vermeer - Woman Reading a Letter (1663)

Leio e releio. E o que posso dizer? Conto a distância que nos separa, essa distância que vem através das letras com que as palavras são compostas, para nos sublinharem tudo o que nos afasta, mesmo que o que nos afasta seja a lonjura que há entre ti, aí tão longe, e mim. Com estas palavras descubro o espaço e com ele componho o teu exílio e a minha solidão. Chega um papel tracejado a tinta e os cães da saudade, em vez de se calarem, ladram desvairados dentro do peito. Leio e releio e não sei o que possa escrever, não sei como açaimar os animais que me devoram a noite. Leio e rasgo a carta. Talvez assim possa esquecer-me de mim.