terça-feira, 4 de abril de 2017

A rua esquecida

Josef Sudek - Forgotten street (1930)

Era lá que escondíamos os nossos sonhos. Como sabe, todos temos tendência para sonhar. O pior é a realidade. Raramente está disposta a abrir as portas para que os nossos mais autênticos devaneios entrem por ela. Então, pegávamos nos sonhos e íamos escondê-los, talvez por vergonha, naquela rua esquecida, por onde quase ninguém passava. Ficavam lá adormecidos, ao deus-dará, e não havia quem os quisesse roubar. Quando um de nós morria, os outros pegavam nos seus sonhos e, naquelas velhas carretas, levavam-nos a enterrar junto com o morto. Foi assim que os meus sonhos desapareceram.