domingo, 19 de outubro de 2014

Paisagens ingénuas

Fernando Botero - Paisagem (2000)

A viagem também se compõe de paisagens ingénuas ou que os olhos do Viandante aprenderam a ver na sua ingenuidade essencial. A experiência de seguir na via, a experiência de responder à voz que nos chama, essas experiências acabam por ensinar a ver, por detrás da complexidade com que o mundo se cobre, a realidade simples e ingénua que agora se dá àquele que, tendo amadurecido, se tornou criança e ri com as peripécias do caminho.