quarta-feira, 14 de setembro de 2016

O jogador secreto

René Magritte - O jogador secreto (1927)

Confesso, sempre tive o secreto prazer de jogar. Porquê o segredo? Está enganada. Por que haveria de ter vergonha de competir? Não, não, também não é verdade que tema ser tomado por criança presa à diversão. Todos estes anos ao meu lado e ainda não me conhece. Não é a vitória, nem o risco, nem o divertimento. É amor, jogo por o amor à regra, e não há jogo sem uma estrita regra. Sou vítima da mais secreta e vergonhosa das paixões, a paixão por aquilo que limita e oprime.