sexta-feira, 30 de setembro de 2016

O anjo negro


Por que razão o corvo, apesar de livre e selvagem, está tão ligado a mim? Na verdade, não sei. Um dia, estava muito cansada e desiludida com a vida, aproximei-me da beira de um penhasco. Tinha tomado uma decisão e cumpri-a. Mal sinto os pé no ar, oiço, como se fosse um trovão, o crocitar de um corvo. Um instante depois, senti-me puxada para cima e depositada na beira do precipício. Pode não acreditar, mas um corvo gigantesco estava ali. Aos meus olhos, começou a diminuir até ao tamanho que um corvo deve ter. Na minha consciência ouvi uma ordem: vai para casa! Obedeci. Não há dia que ele não me visite.

* Desenho de Caspar David Friedrich - The Woman with the Raven at the Abyss (1801).