terça-feira, 21 de junho de 2016

Um corpo a corpo

Thomas Hart Benton - Boxing match (1930)

Um corpo a corpo, um combate de boxe, e não o refúgio numa hiper-realidade ou num qualquer além que a imaginação humana, demasiada humana, está sempre pronta a criar para nos proteger da crueza da existência. Falo da vida espiritual, seja qual for o âmbito em que esta se desenrole. Não é uma fuga mundi, mas um estar no mundo. Não é o lugar da paz mas o da espada. Começa sempre com um corpo a corpo consigo mesmo. A vida espiritual não é tema para revistas cor-de-rosa.