quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Espíritos mundanos

George Grosz - Arbeiter (Trabalhadores) (1912-13)

Houve um momento na história do mundo onde a figura do trabalhador foi tomada como a essência espiritual desse mundo. O mundo, porém, mudou e a essência espiritual do novo mundo desmaterializou-se, tornou-se mais subtil e indecifrável. Apesar das diferenças entre as diversas essências dos múltiplos mundos da história humana, há uma coisa que as une: são todas elas uma ilusão onde o Espírito se aliena e se perde de si mesmo. O importante não é que nos adequemos ao espírito deste mundo, mas que não nos deixemos contaminar por ele, descobrindo o caminho onde o Espírito é como o vento, sopra onde quer.