sábado, 6 de dezembro de 2014

A apropriação do mérito

Pep Llambías - Serie Gestos 'Dar' (1996)

Recebeste de graça, dai de graça (Mateus, 10:8)

Se de forma inopinada aproximarmos a cena da expulsão, por Cristo, dos vendilhões do templo e a injunção em epígrafe (recebeste de graça, dai de graça), percebemos uma ordem das coisas que antecede - não historicamente, mas ontologicamente - as formas conhecidas do comércio social. Aquilo que possuímos é ainda o fruto da graça e não do nosso mérito. A perversão da vida entre os homens, a sua errância, nasce da apropriação do mérito, como se o talento, a vontade, a inteligência, a diligência e até a capacidade para cultivar esses dons fosse propriedade do indivíduo e não algo que ele tivesse recebido gratuitamente.