domingo, 29 de agosto de 2010

Poemas do viandante

127. TEMPO (4)

regato arruinado
o jardim
esquecido
sob a sombra
de uma pedra
o granito

se grasna um corvo
se a noite ondula
se a tua voz se cala

rosa
branca rosa
que ave te roubou
o jardim materno