domingo, 13 de setembro de 2009

Poemas do Viandante (46)

46. UM MISTÉRIO

as ervas
juncam a boca
sabor agreste
trazido
pelo vento 

da infância

às vezes
um presépio
a clareira da noite
mistério de luz

e abundância