domingo, 6 de setembro de 2009

Poemas do Viandante (44)

44. CLAREIRA

a rede
animais prendia
o ramo partido
da macieira
cachos
a despontar
nas videiras

e o vento
noite fora
terror e cinza
apenas clareira
que se abria
no lugar
onde o coração
dormente
adormecia