quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Poemas do Viandante (42)

42. SÓS

inclino-me
para a mudez
da tua voz
e no segredo
arvorado
pela noite
canto-te
como se
estivéssemos
sós