domingo, 22 de maio de 2016

Poemas do Viandante (546)

Franz Ehrlich - Azul e amarelo com um extremo branco (1930)

546. ouve-se o azul cantar

ouve-se o azul cantar
na luz
amargamarela
tão pura
do velho violino
que vibra
no triângulo triste
de um perfume
quasianil quasiazul