domingo, 15 de maio de 2016

A árvore vermelha

Piet Mondrian - Red Tree

Sento-me sob a árvore vermelha e sonho uma paisagem azul. Desenho os contornos do céu e do mar. Também a terra chega ao meu sonho tingida de azul e sílex. É o mundo onde terei vivido antes de ter chegado aqui. Deste posso dar conta de olhos abertos. A terra é castanha, o mar avinhado e o céu quase negro. O outro, aquele onde terei vivido, só o posso sonhar. E assim, todos os dias, venho para debaixo da árvore, adormeço, enquanto a seiva vermelha escorre sobre mim. Tudo se torna claro no meu sonho: um mar azul, o céu tão puro de anil, a terra pintada de cobalto. Pego então num seixo e rasgo a tela. Acordo. Uma folha azul desprende-se dos ramos, enquanto das minhas mãos escorre, para as raízes da árvore, um fio de sangue.