sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Poemas do Viandante (440)

Vincent Van Gogh - Paisagem outonal ao crepúsculo (1885)

440. Coube-nos o tempo do crepúsculo

Coube-nos o tempo do crepúsculo,
os dias de sombra no jardim,
o choro da água no silêncio das ruas.

Tudo se petrifica nesta hora.
O nevoeiro não cobre o provir
nem lembra quem o coração deseja.

Se alguém canta na cegueira da tarde,
se uma voz se ergue pela casa,
uma vela arde fúnebre na luz do altar.

Ainda há sobre a mesa pão e vinho,
mas a rosa que era rosa secou
e desfolhada entrou no rumor da noite.