segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Poemas do Viandante

154. RUMOR DA NOITE

o rumor da noite crescia
então o sol chegava
e a porosa madrugada
anunciava sereno o dia