domingo, 16 de janeiro de 2011

Poemas do Viandante

149. SILÊNCIO

aquela beleza vinha
breve como um incêndio

o vento ardia
e nos campos
a cotovia cantava
no alpendre do silêncio