quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Poemas do Viandante

150. ESPERO

sento-me e espero
a noite a luz
essa voz
o clamor do frio
no deserto
da tarde

espero