domingo, 4 de fevereiro de 2018

Meditação breve (63) Imperfeição

Manuel Álvarez Bravo, Ventana al coro, Mexico, 1930s

A coisa mais surpreendente, e também a mais preciosa, nas obras humanas é a sua imperfeição. Esta é a porta por onde entra aquele que procura ir mais além. A imperfeição incita-nos e abre-nos ao que nos ultrapassa. A perfeição apenas apela àquelas terríveis palavras de Cristo na cruz, após as quais entregou o espírito: Está consumado.