quarta-feira, 17 de agosto de 2016

A sombra da solidão

Ernesto Murillo - A través del muro (1997-99)

Foi aqui que cheguei. Outros foram longe, muito longe. A vida corre-lhes bem. Invejo-os? Em tempos, pensei que sim. Hoje, não. A vida brilhante, o mundo como palco onde representam o seu papel. Nunca tive talento para o teatro e a sociedade exige-o. A princípio nem dei por isso, mas lentamente percebi que tinha optado. Fechei-me neste lugar onde não precisava de representar. Foram-me esquecendo, mas eu nunca os esqueci. Com paciência, escavei um buraco no muro. É de lá, sem que me vejam, que os observo. Tornei-me um voyeur. Sou a sombra que os assombra. A minha solidão é a sombra da sua solidão.