sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Poemas do Viandante (485)

Remedios Varo - Modernidad (1936)

485. estou exausto de tanta modernidade

estou exausto de tanta modernidade
e no passado não há como caminhar
tão pouco a glória do futuro me chama
para da nova era o nome anunciar

restam-me os dias com a sua sombra
e o velho sonho nunca sonhado
restam-me alguns devaneios
abertos sobre um oceano cansado

como eu queria ser não moderno
ter toda a luz na lenda e no mito
e ao acordar de manhã rezar
a oração que outro tivesse escrito