segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Poemas do Viandante

138. AZUL

o azul desprendia-se do céu e
caía em flocos
sobre praças e rios
caía pelos cabelos
de mulheres exaustas
caía nos bosques verdes
de musgos sombrios
o azul que do céu se desprendia