quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Poemas do Viandante

135. FRIO

veio o frio
sobre a distância
que separa
veio cego
e de mão decepada
lança uma chama
de vidro
como se a vida fora
uma rosa esquecida
no coração
da madrugada