domingo, 13 de julho de 2014

Poemas do Viandante (464)

Serge de Sazo - Paris (1960)

464. eis as trevas que me assombram

eis as trevas que me assombram
no meio da cidade

entre elas fantasmas dançam
sem luz nem idade

velhas imagens que cantam
ao som da verdade