sábado, 7 de abril de 2012

Poemas do Viandante (259)


259.  MANET, CRISTO MUERTO Y DOS ÁNGELES

desprendido
dos cuidados do dia
o corpo entregue
à paz do sepulcro
um abismo de trevas
na voz do anjo

de respiração suspensa
espera a hora
em que não haverá hora
a luz iluminada
do mundo 
um traço de agonia
na cal da madrugada

Sem comentários:

Publicar um comentário