sábado, 3 de setembro de 2011

Poemas do Viandante

210. Floresta (X)

raízes e ramos
e fetos e folhas
e silvas
as primeiras bagas
correm
como um rio
frágil e puro
da tua
para a água
da minha boca

Sem comentários:

Publicar um comentário