sábado, 4 de setembro de 2010

Poemas do viandante

130. SE…

a margem infestada
de canas
um barco presume
o restolhar das águas
a noite em flocos
de trigo

se tudo ainda cantasse
ou se as rosas abrissem
o dia pelo cheiro

não haveria pó pelo chão
ou um punho cerrado
coberto pelo ouro
sedicioso
dessa boca fechada
sobre a solidão