terça-feira, 11 de outubro de 2016

A leitora oblíqua

Balthasar Klossowski de Rola - Katia lisant

Tornei-me um voyeur. Tudo começou com um acaso. Cheguei à janela e, na varanda de uma casa há muito desabitada, estava ela a ler. Escondi-me para não ser visto. No dia seguinte, ela voltou. Um pé no chão e outro na cadeira onde se sentava. A saia, ela vestia sempre uma saia, era generosa comigo e oferecia-me a vista das suas pernas. Apaixonei-me, claro. Não pense que foi por causa das pernas. Seria pueril. Foi pela forma como segurava o livro e o olhava de soslaio. Lia e desconfiava do que lia, mas todos os dias se sentava a ler. Um dia dirigi-me a ela na rua. Disse-me: estava à tua espera. Fiquei atónito. Hoje não lê. Senta-se na minha cama, pega-me nas mãos e olha-me de viés.