segunda-feira, 31 de março de 2014

Poemas do Viandante (453)

Nicolás Lekuona - La calle de nadie, 1932

453. Uma sombra pela rua

Uma sombra pela rua
desce sem destino.

Leva o peso do passado
e a luz do presente.

Leva o prazer e a mágoa 
a elegia e o hino.

Leva o coração cansado
e o amor ausente.