segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Poemas do Viandante (70)

70. UM PUNHAL RASGA A NOITE

Um punhal rasga a noite
e canta em silêncio.

Ave de sombra,
pássaro de seda,
luz na boca que fala.